Páginas

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Qual o teor da sua energia?


A mediunidade faz parte da natureza. Todos somos médiuns, uns mais, outros menos desenvolvidos, e trocamos energias uns com os outros.
Com umas você sente prazer enorme em conversar, com outras você antipatiza, quer vê-las pelas costas. Isso não é apenas um capricho seu, mas um reflexo das energias que elas irradiam e você capta.
Existem pessoas nutritivas e pessoas sugadoras.

As nutritivas são:
Independentes. Cuidam de si, assumem suas próprias necessidades, evitam descrregar seus problemas nos outros, procuram ganhar seu próprio dinheiro.
Generosas. Dão os bens que não vão mais utilizar, cooperam com as obras de cunho social. Estão sempre se renovando.
Confiantes em si. Estudam as experiências alheias, mas na hora de decidir não perguntam aos outros o que fazer.
Otimistas. Em todos os acontecimentos olham os lados positivos. Nunca fazem drama de nada.
Respeitosas. Nunca invadem o espaço de ninguém. Aceitam os outros como são sem desejar muda-los.

As sugadoras são:
Vítimas. Sofredoras. Quando lhes acontece uma coisa boa, ficam logo esperando uma coisa ruim. Culpam o governo, a sociedade, as pessoas por suas dificuldades.
Dependentes. Nunca fazem nada sozinhas. Acham tudo difícil. Sentem-se incapazes.
Indecisas. Não têm opinião própria. Só fazem o que os outros dizem.
Depressivas. Jamais falam do que já têm, só do que ainda lhes falta. Estão sempre querendo atenção especial das pessoas e revoltam-se quando não são atendidas.
Inseguras. Apegam-se a tudo e a todos. Têm medo das mudanças, do novo e do futuro. São ansiosas e dramáticas. Vêem o lado pessimista dos fatos.

Quando você capta energia de pessoa nutritiva, sente-se muito bem. Mas se de repente sente o corpo pesado, boceja, fica deprimida, triste, com dor de cabeça ou enjôo, provavelmente absorveu as energias de uma pessoa sugadora.

Nesse caso, vá para um lugar sossegado e faça o seguinte exercício:
Feche os olhos e pergunte mentalmente de onde vêm essas energias. O rosto da pessoa aparecerá em sua memória. Então, imagine que você está dentro de sua pele e diga com firmeza:
- Eu não quero nada de você... O que é seu é seu. O que é meu é meu. Fico com minha energia. O resto vai sair agora, não quero isso para mim.
Sentirá imediatamente grande alívio. Contudo, se você se sente rejeitada pelas pessoas, está na hora de observar quais as energias que você irradia. Elas são responsáveis por tudo que você atrai em sua vida.
Pense nisso.


Zíbia Gaspareto

terça-feira, 7 de julho de 2015

Entre!


Entre!

A porta da vida está aberta e convida,
pessoas com coragem para arriscar,
a rir, chorar, trabalhar, se esforçar, amar,
ser ouvido ou incompreendido,
receber atenção ou sofrer uma desilusão,
ser amado ou perder-se numa paixão,
a vida pede atenção...

A vida oferece muitas possibilidades,
até para quem já ñ acredita mais em nada,
sempre haverá algo novo sob o sol,
um fio de esperança que poderá te levar ao paraíso,
uma nova oportunidade de ser e crescer.

Só não vale ter medo de si mesmo,
só não vale não se conhecer, não se respeitar.
Tem que pegar todas as experiências,
boas e ruins, doces e amargas,
e colocar no grande caldeirão da alma,
para entender o que vale e o que não vale a pena.
Assim, você terá uma bússola precisa,
que vai indicar o seu Norte, a sua direção,
que não tem tempo nem idade,
rumo a realização dos seus sonhos,
rumo a felicidade.

Acredite na vida, acredite em você!!


Paulo Roberto Gaefke

sexta-feira, 3 de julho de 2015

O que é Reiki?



O método Reiki é um sistema natural de harmonização e reposição energética que mantém ou recupera a saúde. É um método de redução de estresse. Reiki é um sistema próprio para despertar o poder que habita dentro de nós, captando, modificando e potencializando energia. Funciona como instrumento de transformação de energias nocivas em benéficas. É um sistema revolucionário para adaptar o ser humano às exigências da Era de Aquarius.

Reiki é uma palavra japonesa que identifica o Sistema Usui de Terapia Natural (Usui Reiki Ryoho), nome dado em homenagem ao seu descobridor, Mikao Usui. Rei significa universal e refere-se ao aspecto espiritual, à Essência Energética Cósmica que permeia todas as coisas e circunda tudo quanto existe. Ki é a energia vital individual que flui em todos os organismos vivos e os mantém. Quando a energia ki sai de um corpo, ele deixa de ter vida. A energia Reiki é um processo de encontro dessas duas energias, a Energia Universal e a nossa energia física. Ocorre depois da sintonização ou iniciação, feita por um mestre habilitado. A energia Reiki é uma das maiores forças deste planeta para a evolução das pessoas, um caminho de harmonização interior com o Universo. É uma energia confortadora vinda de Deus, do Criador. Vem do macrocosmo para o microcosmo. Todos nós temos acesso à energia Reiki. Utilizá-la é nosso direito inato. Reiki é um presente poderoso, uma oportunidade para o iniciado crescer e transformar-se. É uma energia de paz e libertação com a qual o Criador abençoa o planeta. Ajuda a deter a violência e tendências autodestrutivas. É um poderoso antídoto contra o cigarro, o alcoolismo e as drogas que degeneram a humanidade.

Em um tratamento, o paciente sente como se um maravilhoso fluxo de energia positiva passasse através e ao redor de seu corpo. O Reiki trata a pessoa como um todo, incluindo corpo, emoção, mente e espírito, criando muitos efeitos benéficos que incluem relaxamento, um profundo sentimento de paz, segurança e bem-estar. Muitos relataram sobre seus resultados milagrosos.

Fonte: Instituto Brasileiro de Pesquisas e Difusão do Reiki

terça-feira, 5 de maio de 2015

Conhece a Ti Mesmo

“O autoconhecimento nos leva a uma profunda viagem ao nosso interior, fazendo-nos compreender por que reagimos a uma determinada situação, tornando-nos capazes de fazer escolhas mais conscientes, e consequentemente nos revelando satisfação e sentido de vida cada vez mais significativo.”
Michel Angebert – filósofo e escritor francês

"Quem olha para fora, sonha e quem olha para dentro, acorda."
Carl G. Jung


Segundo a psicologia analítica criada por Jung, desde a mais tenra infância, somos obrigados a criar mecanismos para proteger nossa verdadeira essência. Vamos dessa forma adquirindo padrões socioculturais que quando são rígidos e inflexíveis bloqueiam nosso processo de desenvolvimento mental e emocional. Passamos por processos de aceitação na escola e nos círculos sociais durante a infância e adolescência. É o período em que popularmente se diz que o jovem está “procurando a sua tribo”.

A influência dos grupos, a família e a sociedade em que cada indivíduo vive atuam consideravelmente para a influência na formação dos seus conceitos e preconceitos. Muitas vezes a pessoa passa a escutar apenas o que os outros, a sociedade, a religião e os padrões estabelecidos de normalidade nos dizem para fazer, não dando ouvidos à nossa própria voz, a voz das nossas aspirações e desejos, os anseios do nosso Ser.

“Muitas pessoas com o passar dos anos perdem o contato com sua alma e nem sequer tem consciência dessa voz interior. Outros tentam silenciá-la a qualquer custo por conta das conveniências. Estão ainda iludidos e presos as pressões, imposições e medos impostos pela sociedade, pelas religiões que oprimem e muitas vezes por seu próprio ego: Mas o que vão pensar de mim se eu fizer isto?" – relata Suzana Lemos, coordenadora do grupo de estudo voltado para o autoconhecimento “Os prazeres e as dores da Alma” e completa lembrando uma frase do médium Allan Kardec: “Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz”.

“A verdade vos libertará...” escreveu o apóstolo João, o evangelista. Esse passou a ser um conceito de alto valor que foi sendo reafirmado ao longo da história muitas vezes, através do seu oposto – a mentira escraviza. A mentira aqui relacionada são os personagens criados para a aceitação dos outros, quando o “seu valor” está sempre na dependência do que dirão sobre você, não importando sua própria opinião e verdade. Esse é o caminho mais comum para todos os que abandonam os seus sonhos. Para desenvolver o autoconhecimento é preciso ter consciência de quem se é de verdade, avaliando os pontos positivos tanto quanto os negativos, tendo consciência e responsabilidade para entender que aquilo que você faz é um reflexo de quem você é.

Ao reconhecer seus pontos negativos, você terá condições para mudar um por um. Reconhecendo seus pontos positivos se sentirá mais confiante em sua capacidade de conseguir o que quer que deseje independente das críticas ou opiniões que terão sobre você, pois sabe ser capaz de conseguir tudo o que deseja.

“Amai ao próximo como a ti mesmo”

Uma das frases que sustenta a crença cristã é justamente uma máxima para a avaliação do autoconhecimento: “Amai ao próximo como a ti mesmo” – segundo esse fundamento fica claro que devemos amar, tratar e fazer ao outro exatamente o que desejamos que façam a nós mesmos. No entanto é difícil lidar com a incoerência dos nossos atos uma vez que desejamos respeito, mas desrespeitamos, desejamos compreensão, porém não compreendemos. Segundo o budismo o mundo é um reflexo de nós mesmos, assim sendo as pessoas refletem em seus atos a maneira como interagem com o seu mundo interior e fazem valer o dito popular: “Como ser amado se não se sabe amar?”

O autoconhecimento nos leva ao desenvolvimento da Consciência, transcendendo as “roupagens” e indo em direção a nossa verdadeira essência, numa caminhada que nos possibilita não somente a realização pessoal como profissional, revelando aspectos que despertam admiração real e verdadeira daqueles que nos cercam e influenciando outras pessoas na busca por suas próprias verdades. Mais importante que uma questão fundamental da filosofia, o autoconhecimento é um exercício que tem como objetivo revelar a natureza, a origem e os verdadeiros valores que formam cada um de nós, visando um melhor entendimento de nossas experiências e possibilitando assim uma vivência mais plena da vida e com os outros, uma aventura em busca de nós mesmos, uma viagem que, sem dúvida, exige muito mais coragem do que segurança.


Autoria: Luciana Machado, do site Plena Mulher

terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

O que é a tranquilidade?

Todos os dias as pessoas buscam mais tranquilidade, existe uma intensa vontade e desejo de estar bem e viver mais tranquilo, viver de bem consigo mesmo.
 
Porém, diariamente, em função de fatores externos acabamos nos afastando de ter uma vida tranquila: o tempo desperdiçado em frente a TV, as horas e horas em frente ao computador na internet, o trabalho exaustivo e outras preocupações corriqueiras acabam nos afastando de viver de forma leve, de forma tranquila.
 
Esse problema não é exclusivamente seu, assim como você muitas pessoas tem este mesmo sentimento e buscam por um nível maior de tranquilidade.
 
Para te ajudar, segue algumas dicas que vão te ajudar no processo de ser uma pessoa mais simples e tranquila:
 
Trace suas prioridades
Faça uma lista objetiva de todas as suas prioridades, coloque isso no papel para que fiquei mais organizado e visual. Liste tudo que é importante para você e não apenas só no âmbito profissional mas também no pessoal.
 
Organize seu tempo/tarefas
Depois de ter uma lista clara e objetiva organize seu tempo dividindo as suas tarefas, defina tempo para execução de cada uma e procure seguir isso rigorosamente. Assim seu dia será muito mais organizado e deixará você muito mais tranquila.
 
Tenha tempo para você
Não temos como fugir das obrigações como o trabalho por exemplo, durante o dia vamos ter que fazer muitas coisas que não gostaríamos e isso é normal, acontece com todo mundo. Para amenizar isso busque intercalar entre uma e outra atividade mais extensa e desgastante um tempo só para você, para fazer o que você realmente gosta! Pode ser alguns minutos para escutar música, praticar algum exercício físico ou até mesmo um tempo para não fazer nada! Acredite, isso faz muita diferença.
 
Diminua o estresse
Você terá que administrar problemas diariamente, mas faça isso com calma e serenidade! Busque tranquilidade para resolver isso da melhor forma, não se deixe abalar com os problemas, eles são e fazem parte da nossa vida. Encare isso de forma natural e busque a resolução serenamente.
 
Foque nas pessoa e viva o momento
Vá por mim, melhor do que ter uma boa casa ou um bom carro é ter um bom relacionamento com as pessoas que você gosta, de ser aceita no meio em que vive. Poder compartilhar momentos únicos ao lado das pessoas que você ama não tem preço, foque nisso e não apenas em trabalhar para conquistar bens materiais.
 
Procure implementar estas dicas no seu dia a dia, você vai começar a ter momentos mais tranquilos e isso vai fazer com que você seja uma pessoa mais feliz. 

Texto extraído do blog Serenamente

quinta-feira, 8 de janeiro de 2015

Por que sempre ter razão?



Por que você liga tanto para coisas que não deveriam incomodar?

Por que temos esse estranho jeito de querer resolver tudo?

As vezes até o que não é do nosso meio, nem da nossa capacidade.

Nos perdemos em discussões tolas, esforços em vão, suor a toa.

Para o nada…

Perdemos um tempão com coisas bobas, brigas tolas.

Discutimos muito para saber quem tem razão.

Lógico que, querendo sempre ter a razão.

E assim, perdemos tempo precioso, perdemos amigos, amores, conhecidos.

Tudo porque queremos ter a razão, reafirmar que somos “superiores”.

O que realmente importa é fazer o que nos faz bem e que pode ser repartido, compartilhado, dividido com outros.

Não perca saúde, alegria, vida e amigos discutindo o vazio.

Melhor é ter emoção, coração do que razão.

A razão passa, se perde. A emoção pode ser eterna.



Paulo Roberto Gaefke