Páginas

quarta-feira, 23 de maio de 2012

O que é ser ZEN?

Ser zen não é ficar numa boa o tempo todo, de papo para o ar, achando tudo lindo sem fazer nada.
Ser zen é ser ativo. É estar forte e decidido. E caminhar com leveza, mas com certeza. É auxiliar a quem precisa, no que precisa e não no que se idealiza.
Ser zen é ser simples. Da simplicidade dos santos e dos sábios. Que não precisam de nada. Nada mais que o necessário. Para o encontro, a comida, a cama, a diversão, o trabalho.
Ser zen é fluir com o fluir da vida. Sem drama, sem complicação. Na hora de comer, come comendo, sem ver televisão, sem falar desnecessário. Sente o sabor do alimento, a textura, o condimento. Sente a ternura (ou não) da mão que plantou e colheu, da terra que recebeu e alimentou, do sol que deu energia, da água que molhou, de todos os elementos que tornam possível um pequeno prato de comida à nossa frente. Sente gratidão, não desperdiça.
Come com alegria. Para satisfazer a fome de todos os famintos. Bebe para satisfazer a sede de todos os sedentos. Agradecendo e se lembrando de onde vem e para onde vai.
A chuva, o sol, o vento.
O guarda, o policial, o bandido, o açougueiro, o juiz, a feiticeira, o padre, a arrumadeira, o bancário e o banqueiro, o servente e o garçom, a médica e o doutor, o enfermeiro e o doente, a doença e a saúde, a vida e a morte, a imensidão e o nada, o vazio e o cheio, o tudo e cada parte.
Ser zen é ser livre e saber os seus limites.
Ser zen é servir, é cuidar, é respeitar, compartilhar.
Ser zen é hospitalidade, é ternura, é acolhida.
Ser zen é o kyosaku, bastão de madeira sábia, que acorda sem ferir, que lembra deste momento, dos pés no chão como indígenas, sentindo a Terra-Mãe sustentando nossos sonhos, nossas fantasias, nossas dores, nossas alegrias.
Ser zen é morrer
Morrer para a dualidade, para o falso, a mentira, a iniqüidade.
Ser zen é renascer a cada instante. Na flor, na semente, na barata, no bicho do livro na estante.
Ser zen é jamais esquecer de um gesto, de um olhar, de um carinho trocado no presente-futuro­passado.
Ser zen é não carregar rancores, ódios, cismas nem terrores.
Ser zen é trocar pneu, as mãos sujas de graxa.
Ser zen é ser pedreiro, fazendo e refazendo casas.
Ser zen é ser simplesmente quem somos e nada mais. É ser a respiração que respira em cada ação. É fazer meditação, sentar-se para uma parede, olhar para si mesmo. Encontrar suas várias faces, seus sorrisos, suas dores. É entregar-se ao desconhecido aspecto do vazio. Não ter medo do medo. Não se fazer ou, se o fizer, assim o perceber e voltar.
Ser zen é voltar para o não-saber, pois não sabemos quase nada. Não sabemos o começo, nem o meio, muito menos o fim. E tudo tem começo, meio e fim.
Ser zen é estar envolvido nos problemas da cidade, da rua, da comunidade. É oferecer soluções, ter criatividade, sorrir dos erros, se desculpar e sempre procurar melhorar.
Ser zen é estar presente. Aqui, neste mesmo lugar. Respirando simplesmente, observando os pensamentos, memórias, aborrecimentos, alegrias e esperanças.
Quando? Agora, neste instante. É estar bem aqui onde quando se fala já se foi. Tempo girando, correndo, passando, e nós passando com ele. Sem separação.
Ser zen é Ser Tempo.
Ser zen é Ser Existência.

Texto de autoria da Monja Coen

Olá amigos, compartilho aqui este texto da Monja Coen que acho muito lindo e verdadeiro...
Até agora, estou indo bem nas provas, ainda terei mais uma na sexta-feira. Já estamos indo para o final do semestre, e logo, chegam as tão esperadas férias!! Estou contando os dias...
Quero agradecer aos meus queridos amigos que me ajudaram a excluir o malware que estava infectado no meu outro blog!! Amigos como o Élys, a Valéria, a Chica, e outros, são verdadeiros tesouros na minha vida!! São vocês que tornam a minha vida ainda mais feliz e colorida!! Muito obrigada!!

Beijos da Mari!♥

11 comentários:

Fernanda Sartori disse...

Mari querida
Quero ser cada vez mais zen.
Lindo o texto!

Ah, uma curiosidade. Como você retirou o Malware que estava no blog?
Um beijo.

✿ chica disse...

Eu conhecia esse texto, nem lembro como chegou até mim.

Adorei e muitos acham que ser zen é ficar paradinhos, meditando apenas..

É bem mais!! beijos,nem precisa agradecer nada, gostamos de vir aqui! Desejo ótimas provas pra ti!! beijos,chica

Beleza Natural disse...

Olá Mary! Concordo plenamente, ser zen é viver e aproveitar o momento presente e apreciar as coisas simples da vida.
Adorei o texto:)))
Beijinhos

Elaine Figueira disse...

Delícia de leitura. Adoro tudo que esta Monja escreve. Seu espaço é muito zen e esta tina ao lado com flores coloridas, é a glória.

Elaine

Tunin disse...

Disso tudo eu digo que ser zen é amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos.
Abração.

Mari Rehermann disse...

Falou tudo agora, Tunin!! É isso aí mesmo! Sem mais palavras!!

Bjsss!♥

La Gata Coqueta disse...



¿A que huelen las flores?
Las flores huelen a romance primaveral…
Y sus pétalos es la obediencia de tus ojos
Para admirar la madrugada…
Cada fin de semana virtual.

Que tengas
un precioso día
sin mediar los enojos.

María del Carmen

Denise disse...

Mari, me esforço muito para ser zen. Nem sempre consigo, mas perseverando, um dia, sei q conseguirei. Afinal, a vida se constitui de um eterno aprendizado. Muita paz!

Ana Martins disse...

Mari, boa noite!
É sem dúvida um texto lindo, não conhecia, grata pela partilha.

Sucesso para as provas seguintes é o que lhe desejo.

Beijinho,
Ana Martins

SONINHA disse...

Ser zen é viver no sentido literal da palavra. Pra mim, falta muuuuito.... kkkk Sou agitada, mas já melhorei com o passar dos anos....kkkkk
Beijoooo!

Renata Diniz disse...

Oi Mari! Esse texto é para ser praticado, meditado e nunca esquecido. Muitas verdades contidas nele. Boas provas. Bom fim de semana. Beijos!!