Páginas

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Alinhar a Mente com o Coração para Encontrar a Paz Interior



Hoje vamos compartilhar com vocês o alinhamento da cabeça com o coração. Esta experiência é uma consequência de tudo o que liberamos, é o resultado de curar ressentimentos, ódios, resistências, já que essa paz, assim como o amor e a alegria, são essencialmente a nossa natureza interior.

E por que falamos de alinhamento? Na maioria das vezes, a cabeça está liderando nossas ações, nossos sentimentos, criando projetos e ideias. Damos prioridade a todos esses planos, a essa informação, a tudo o que acontece externamente, e não prestamos atenção ao nosso interior, ao que sentimos, que de fato é a bússola que orienta e dirige o barco da nossa vida, e que nos indica o caminho que nos proporcionará a realização como seres humanos, aquilo que vibrará em uníssono com o crescimento verdadeiro, enquanto transitamos rumo à nossa evolução humana.

Desde a escola, aprendemos tudo o que tem a ver com o lado de fora. Muitos de nós também aprendemos, no contexto de nossas famílias, aquilo que tem a ver com o que internamente necessitamos: os valores, os princípios, o calor e o nutritivo do cuidado amoroso, isso que naturalmente acrescenta, dentro de nós, a segurança e a autoestima.

Mas muitos de nós, não tivemos essas oportunidades. E então, quando vamos para o mundo, estamos totalmente desconectados do que sentimos, chegando as vezes até o desespero de sentir-nos perdidos, à mercê da tempestade da vida, sem qualquer bússola que nos guie. O que podemos fazer?

Primeiro, vamos explorar o segredo para alinhar a cabeça com o coração. E isto começa por levar sempre nossos passos em direção àquilo que vibra na verdade. Quando falamos da verdade estamos falando da voz do coração, e quanto mais fizermos isso e mais nos focarmos em crescer em consciência, mas se intensifica. Falar a verdade nos leva a expressar e compartilhar a nossa sabedoria interior, a nossa onisciência, algo que vai além do intelectual, que fala do desconhecido, não daquilo estudado, não daquilo vivido, mas de uma experiência que vai além da dualidade, e dentro dessa experiência, fala da liberdade do amor incondicional.

O amor incondicional é a linguagem do coração. Portanto, quando falamos a nossa verdade, a nossa cabeça e o nosso coração estão alinhados.

Muitas vezes, dedicamos muitas horas a tanto acontecimento externo e superficial, até ficarmos cansados. Toda essa atividade não nos satisfaz, e ansiamos algo que dá um significado mais profundo a tudo, algo em que possamos expressar a verdade de nós mesmos. Mas podemos virar esse jogo se nos dedicarmos várias vezes ao dia a permitir que nossa atenção, literalmente, desça da nossa cabeça para o nosso coração, e ali se instale.

Se ao fazê-lo, procuramos algo para apreciar, observando em silêncio -pode ser uma árvore florida, uma criança aprendendo, um ancião sensibilizado pela nossa atenção, água corrente irrigando terras, ou apenas uma canção-, pode sentir o seu coração, como se expressa? Você sente essa expansão?
 
Por Isha

1 comentários:

✿ chica disse...

Mari, que lindo tudo aqui! O blog mudou de roupa? rs E a mensagem sempre linda! bjs, chica