Páginas

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Um Espaço para o Novo

Quem não quer algo novo na vida, algo mais feliz, um estímulo para viver diferente? Um novo amor? Ou um novo trabalho com mais significado?

Infelizmente, tenho visto muita gente descontente, pessoas que aparentemente tem tudo para ser feliz e não se sente assim. Tenho visto também pessoas que tentam mudar o foco da tristeza descontando as frustrações em compras, na busca desenfreada de um amor, ou ainda na expectativa do sucesso profissional que acaba se transformando em competição e mais frustração.

Quero deixar claro que sou a favor do crescimento, da mudança e da busca para alcançar tudo isso, mas não de uma forma louca, desenfreada. Sinto que precisamos ser sábios para analisar o ponto em que estamos para desejar seguir em frente. Por que se não agirmos assim, correremos o risco de ir alimentando frustração em cima de frustração. Pois querer mudar é bem diferente do que conseguir mudar.

Precisamos olhar para nossas frustrações e ponderar o que de tudo que passamos faz parte de um amadurecimento natural da vida que impõe seus limites, e o que é uma acomodação nossa, escolhas erradas que hoje trazem seus frutos negativos, ou ainda uma estagnação por medo das implicações da transformação. E só a autoanálise trará as respostas. Por isso vamos nos analisar.

Para ajudar, formulei algumas perguntas para você fazer para si mesmo:
1. Você está dando verdadeiro espaço para o novo, ou está ficando só no desejo?
2. Você tem medo da mudança?
3. Consegue persistir na busca de seus objetivos, ou guarda os sonhos, como apenas sonhos por medo de não dar certo, ou qualquer outro medo escondido?
4. Qual é a sua inspiração para mudar? Algo de fora, uma pessoa que você conheceu? Ou um extremo cansaço ou desgosto por tudo o que está vivendo? Fica a sugestão de analisar por que quer mudar...
5. Você tem coragem de enfrentar o tempo de pausa entre o novo e o fechamento do ciclo atual?

Essas são perguntas muito importantes que só você poderá responder. Aprendi com os Mestres que tudo começa dentro de nós. O impulso sempre vem da gente, ainda que nos inspiremos em fatos, pessoas, numa viagem, ou seja no que for, aquele impulso é uma semente que para germinar dependerá de nossa aceitação, do acolhimento e maturação daquela ideia original. Então, se você está querendo mudar de verdade, terá que enfrentar o desabrochar dessa intenção. E enfrentar também com paciência a passagem do tempo que trará mais entendimento e aprendizado. Precisará sair do sonho e correr riscos.
Ainda que alguém, ou um fator externo seja a sua inspiração para mudar, será você que dará ou não força para isso acontecer.

Se quer mudar não permita que o medo do novo aprisione você. Acho que você vai concordar que estamos vivendo um tempo muito louco, com muitas coisas novas acontecendo no mundo, grandes avanços tecnológicos e desafios de toda natureza para trazer o novo, inclusive quebrando paradigmas, pois há bem pouco tempo pensávamos que tendo um emprego seguro seríamos felizes, ou um carro novo traria contentamento, já que nós, ocidentais, fomos criados num mundo voltado para o consumo e realizações materiais, mas nem para nós isso está sendo suficiente, ou reconfortante, ou seguro. Sucesso, então... também não está trazendo contentamento, até por que conheço bem pouca gente que se considere "bem-sucedido". Queremos sempre mais, não é?

Assim, se o desejo do novo, a inquietação da mudança está tocando a sua vida, permita-se tentar, ou pelo menos olhe para o desconforto com coragem de ver o que não está dando certo, o que você não quer mais. Por que se você tiver essa pequena coragem da autoanálise, com certeza, sua vida já estará caminhando para um novo momento no mínimo mais honesto.

Sinto que estamos num momento em que a sociedade já está dando mais espaço para acolhermos as diferenças, as pessoas que vivem de uma forma diferente da nossa, o novo, e isso já é um espaço para o novo brotando no coletivo. E que assim seja. Se refletirmos até sobre o significado das orações, veremos que: "Assim na Terra como no Céu", pode nos remeter a visão das nuvens que vivem mudando de forma.

Vamos ter coragem de nos soltar?
 
 
Autor: Maria Silvia Orlovas

3 comentários:

Fernanda Sartori Costa disse...

Mari,
Ótimo post, vivemos tempo de muito medo, medo de tudo.
Eu, estou afim de me soltar.
Um beijo querida e boa semana.

Élys disse...

Uma página muito boa para se refletir. Beijos.
Élys

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Bonito e reflexivo texto, Mari
Obrigada pela gentil visitinha
Fiquei feliz!
Beijinhos carinhosos de
Verena e Bichinhos