Páginas

sexta-feira, 14 de março de 2014

O Descanso que Procuramos

Toda inquietude, todas as dores, todos os ruídos que tantas vezes parecem lhe invadir são apenas expressões desorganizadas de algo maior, de seu potencial de vida e sua capacidade de expressar-se em amor.

Talvez não esteja claro agora. É necessário pacificar-se para entender.
Não é o mundo, nem as pessoas, nem nada mais que deve promover paz em nós. Esse é nosso condicionamento, geralmente é assim que somos levados a acreditar: A paz está em algo a ser buscado, uma meta, uma pessoa, um evento que um dia encontrarei.

Essa busca insaciável nos desorganiza.
Faz com que as emoções enfraqueçam, nossa natureza seja distorcida, a criatividade se dilui, coloca-se um véu denso e escuro sobre nossa capacidade de enxergar com clareza, afinal, tudo o que temos naturalmente como potencial humano, toda beleza e potencial se confinam em uma estrada, estreita, congestionada, poluída e que não vai dar em nenhum lugar. Nos aprisionamos voluntariamente.

Como aquele mundo de gente que sai no feriado para o litoral achando que encontrará felicidade em uma praia lotada, carros literalmente estacionados nas estradas, falta de estrutura, de água, de comida, horas de paciência na ida e na volta enquanto a cidade desfruta de uma rara paz.

Entende o que estou falando? Preste atenção:
As dores existenciais que não sabe explicar, a sensação de que tem coisa faltando, o desconforto latente diante do que as pessoas tem se tornado, diante do que você mesmo tem se tornado, não indicam “doenças”, pelo contrário, refletem que há em você, dentro, muito mais do que convém aos “donos do mundo”, aqueles que usam nossa sede para criar zumbis em prisões emocionais, escravos que passam a vida inteira buscando lá fora, em tudo o que dizem, ou melhor, que vendem, o que encontrariam se simplesmente se enxergassem com verdade, se parassem de correr atrás de todos os pneus que passam pela estrada.

A paz mora ai dentro. Não fora. Não lá, mas aqui. Tudo ficará absolutamente claro quando você se permitir parar, aquietar e enxergar. Não há fórmulas mágicas, encantamentos ou nada que substitua esse entendimento básico: É preciso enxergar-se.

Siga seu caminho com simplicidade, alegria, presente no hoje, no agora, encontrando significados no cotidiano. Seja humano, seja você.
Esteja consciente, o que hoje parece desarmonia, refletirá sua paz interior e naturalmente se harmonizará conforme acontecer em seu coração. Só não inverta as coisas, não se engane, não se perca.

Autor: Flávio Siqueira

6 comentários:

Tunin disse...

Obrigado, minha amiga, pelas palavras generosas expressas lá no blog.Quanto ao texto do Flávio, é magnífico. A paz que buscamos está dentro de nós mesmos quando olhamos, em primeiro lugar, para o Deus todo poderoso.
Abração.

Coisinhas da Shirley disse...

Oi, Mari.
Sabe... esse texto veio a calhar. Eu tô assim desorganizada, chata com todos, sem ânimo para o trabalho, não consigo ver muita alegria ou leveza nas coisas. Sei que tudo está em mim, mas tá difícil achar um caminho... Esse texto veio a calhar.
Bj. Shirley.

Marlene disse...

Bom dia amiga lindo e profundo texto,quantas vezes nos sentimos irritados aborrecidos vazios
é tão fácil organizar nosso interior com um recolhimento espiritual ou com a leitura e reflexão de um texto lindo como este um abraço tenha uma semana linda bjs marlene

Toninho disse...

Um mundo de inquietações onde as pessoas se perdem no querer numa clara evidencia da perda do ser. Angustias são perceptíveis e a dor supera o físico.
Linda meditação minha querida amiga.
Para um inicio de semana uma bela postagem para olhar para dentro e buscar o mais valioso.
Uma linda semana a voce com meu terno abraço de paz e muita luz.
Beijo no seu coração amiga.

A Casa Madeira disse...

Bonito texto; nesse ir e vir da vida a maioria das pessoas nem reparam mais nas coisas simples e belas. É triste o ser humano que acha que para existir tem que ter e que essa é a única forma de ser feliz.
Abraços

Minha vida de campo disse...

Sábias palavras, quem me dera poder viver a felicidade sem a culpa, por aqueles que nunca a tiveram.
Bjos tenha uma ótima semana.